Site oficial da Secretaria Municipal de Turismo e Cultura de Canela

Canela

DADOS GERAIS

População: 44.489 habitantes (estimativa IBGE / 2018)
Área: 253.730 km²
Densidade Demográfica: 154,58 hab/km²
Clima: Subtropical de Altitude
Solo: Basáltico – Formação Serra Geral

A Cidade

Tranquilidade e muitas opções de lazer e descanso. Belos parques e atrativos turísticos, que usam como cenário belezas naturais, matas nativas, ar puro, o cantar dos pássaros e belas estruturas construídas para bem receber, proporcionando momentos de paz, diversão e lazer.

Gastronomia que contempla várias culturas, com atendimento de excelência e deliciosos sabores cuidadosamente temperados. O tradicional churrasco, o romântico fondue e o doce chocolate caseiro são especialidades que agradam. Hotéis e pousadas cheios de aconchego, muito conforto e atendimento diferenciado.

Eventos culturais e de lazer para todas as idades, durante o ano todo. Comércio variado com malhas, artesanato, couro e grifes. Belezas naturais sempre bem cuidadas e preservadas chamam a atenção de seus visitantes.

Parques cheios de mata nativa, quedas dágua de 131 metros, trilhas, morros e vales com vistas inesquecíveis. Tudo isso é um convite para os casais românticos, para as famílias que buscam lazer ao ar livre e também para os adeptos de turismo aventura. Além disso, empreendimentos que buscam oferecer sempre novidades com muita segurança para seu público.

História

O primeiro proprietário do território foi Joaquim da Silva Esteves, o qual obteve em 1821 da Coroa Portuguesa o título de “Campestre Canella”.

O nome da cidade provém de uma árvore, chamada de Canela, então localizada não longe do local onde está atualmente a praça central da cidade, a Praça João Corrêa, esta caneleira servia de ponto de encontro e pousada de tropeiros. O Coronel João Corrêa Ferreira da Silva foi o desbravador do povoado, construiu uma estrada de ferro, iniciando a obra por volta de 1913 sendo esta concluída em 1924, ligando Canela a Taquara.

Em 1913, foi criada a “Companhia Florestal Riograndense”, esta Companhia comprava pinheiros e terras nas redondezas do Caracol. Para exploração desses pinheiros foram instaladas cinco serrarias. Foi contratado por esta Companhia o Sr. Helmut Schmitt, prático em locação de estradas e instalações de serrarias, e por conta da Companhia Florestal, este mandou construir diversas estradas, desde a localidade do Caracol até o Banhado Grande, Esteinho, Ferradura, Tubiana, etc. Em 02 de março de 1926, Canela foi catalogada pelo Ato nº 302 como 6º Distrito do Município de Taquara. O movimento emancipacionista tomou maior vulto a partir de 1942.

Em 28 de dezembro de 1944, pelo Lei Estadual nº 717, foi criado o Município de Canela, tendo sido instalado 1º de janeiro de 1945, sendo nomeado como primeiro prefeito o Sr. Nelson Schneider.

Geografia

Canela localiza-se na microrregião 309 (RS), nos degraus da encosta inferior nordeste e na extremidade sul da Serra Geral. O município é dividido pelo Rio Caí (Santa Cruz), abrangendo as nascentes do Rio Paranhana (Santa Maria).

O primeiro morador do território foi Joaquim da Silva Esteves, o qual obteve em 1821 da Coroa o título de “Senhor do Campestre do Canella”.

O nome da cidade provém de uma árvore, chamada de Canela, que era localizada na área central da cidade, hoje Praça João Corrêa, esta caneleira servia de ponto de encontro e pousada de tropeiros.

Infra-estrutura

Hoteleira: aprox. 6.000 leitos
Produtiva: Agroindústria, moveleira, malharia, madeireira
Energia Elétrica: Duas usinas hidrelétricas fornecem energia para 9.491 consumidores, com um consumo de 62.126 Mw/h
Água/Esgotos: Água – Abastecimento através da Corsan
Esgoto: 30% da zona urbana através da prefeitura
Telefonia Fixa e Móvel
Provedores de Internet

Aspectos Logísticos

Aeródromo Municipal de Canela
Estradas com pedágios administrados pela EGR
Distrito Industrial
Distância rodoviária de Porto Alegre: 120 km
Distância rodoviária de Caxias do Sul: 73 km
Distância rodoviária de Gramado: 6 km

Incentivos

– Lei ou normativa específica para o Distrito Industrial:
– Lotes para instalação de indústrias com subsídios;
– Terraplanagem;
– Iluminação;
– Rua de Acesso (construção);
– Serviços de máquinas e abertura de fossa séptica;
– Transporte de brita, areia e calcário para instalação das industrias;
– Isenção de tributos (taxas e impostos municipais) de acordo com o investimento Distrito Industrial (Dins);
– Treinamento de mão-de-obra.

Um dos 162 municípios gaúchos habilitados pelo CONSEMA (Conselho Estadual do Meio Ambiente) que dispõe de condições de fornecer licenciamento ambiental aqueles empresários dispostos a investir no município.

Comments are closed.